Política

“São 3 candidatos da cozinha do Karnak”, diz Kleber sobre oposição

O candidato do PSDB ao Palácio da Cidade concedeu entrevista ao Viagora, onde falou sobre propostas para a capital, estratégias de campanha e apoio de partidos à sua candidatura.
01/10/2020 06h39 - atualizado

O professor Kleber Montezuma (PSDB), candidato a prefeito de Teresina, concedeu entrevista ao Viagora, onde falou sobre suas propostas para a capital, estratégias de campanha e sobre o apoio de lideranças tucanas e do Progressistas à sua candidatura.

Kleber é o candidato apontado pelo prefeito Firmino Filho (PSDB) para sucedê-lo no comando do Palácio da Cidade. Os adversários da oposição alegam que o grupo de Firmino já governa a capital piauiense há mais de 30 anos e que Kleber não apresenta novidades para a gestão da cidade. Sobre isso, o candidato afirmou que esse fato confirma que a administração do PSDB têm dado certo e que os teresinenses aprovam o modelo de gestão tucana.

“Eu vejo isso como um grande elogio, porque num sistema democrático você só chega ao poder executivo ou legislativo através de eleições, e as eleições significam que a população faz julgamento do trabalho que você realiza e aprova ou não. Se a população aprova, ela obviamente renova a sua oportunidade de continuar trabalhando, de continuar realizando, então significa dizer que quem pensa está fazendo uma crítica, na verdade está dizendo que esse grupo é um grupo político q       eu trabalha fazendo aquilo que a cidade quer que seja feito, a cidade aprova e por isso que renova para que eles possam continuar trabalhando servindo a cidade e trazendo mais conquistas”, declarou.

  • Foto: Kelvyn Coutinho/ViagoraKleber Montezuma (PSDB)Kleber Montezuma (PSDB).

Antes do anúncio do nome de Montezuma como candidato do prefeito Firmino Filho, especulava-se que o ex-presidente da Fundação Municipal de Saúde, Charles da Silveira, poderia ser o candidato da atual gestão, mas que a escolha pelo nome do ex-secretário de Educação teria afastado Charles do grupo de Firmino. Kleber comentou que Charles está integrado em sua campanha e que participou das conversações para firmar alianças com partidos que estão apoiando sua candidatura.

“O professor Charles é um grande amigo, ele está integrado na campanha, inclusive nas últimas movimentações antes da nossa convenção, ele nos ajudou muito quando nós tivemos a aliança feita com o Partido Verde. Foi o professor Charles um dos maiores interlocutores que nós tivemos com o Partido Verde para que o partido viesse a apoiar o professor Kleber nessa campanha. É um grande amigo, tá dando uma grande colaboração, e sempre a gente conta com ele. É um homem experiente, conhece a cidade, é um grande conselheiro”, informou.

  • Foto: Kelvyn Coutinho/ViagoraKleber Montezuma (PSDB)O professor e ex-secretário de Educação falou sobre críticas da oposição à sua candidatura.

Anteriormente, Firmino e Kleber chegaram a fazer declarações polêmicas sobre os candidatos dos partidos aliados ao Palácio de Karnak, Fábio Abreu (PL), Dr. Pessoa (MDB), e Fábio Novo (PT), afirmando que os três representavam os interesses e o modelo de gestão aplicado pelo governador Wellington Dias (PT). A oposição rebateu as críticas, afirmando que Kleber é apoiado por Ciro Nogueira (Progressistas), mencionado em denúncias da Operação Lava Jato. Questionado sobre isso, o professor afirma que é o candidato do prefeito Firmino Filho e que representa os interesses do seu grupo político, do PSDB.

“Olha, eu quero dizer que eu sou o candidato do Firmino, eu sou do PSDB, o Firmino é do PSDB, então o professor Kleber é candidato de Firmino. Temos um apoio sim dos Progressistas, e nos honra ter o apoio dos Progressistas, porque eles já fazem parte da administração do prefeito Firmino Filho, e muitas das obras que cidade de Teresina está recebendo, avenidas, pontes, obras dentro do campo da mobilidade urbana, estão sendo feitas com recursos que o senador Ciro Nogueira aportou de Brasília, do Governo Federal, para Teresina. Então, eu espero que essa aliança com os Progressistas ela dure o maior tempo possível, que nós queremos que seja para as eleições de 2020 e estamos trabalhando para que 2022 estejamos em aliança também. Então, nós não temos nenhum problema em dizer que nós estamos apoiados pelos Progressistas, assim como somos apoiados por vários outros partidos: PDT, PSL, DEM, o Avante, vários outros partidos”.

  • Foto: Kelvyn Coutinho/ViagoraKleber Montezuma (PSDB)Kleber falou sobre o apoio que recebeu de partidos como o Progressistas.

“O que é interessante são esses três candidatos se esconderem que são candidatos da cozinha do Palácio de Karnak. Eles são candidatos do governador e representam um modelo de administração do governador, e eles têm vergonha de dizer isso, não sei por quê. Mas todo mundo sabe que o governador é que está por trás dessas três candidaturas, eles é que deviam explicar porque que eles escondem os apoios eles têm. E quando se fala em Lava Jato, o presidente nacional do PMDB, ex-presidente da República, Michel Temer, foi preso na Lava Jato, e o candidato do MDB tinha que se explicar também sobre isso. Eu nem acho que precisa porque cada pessoa tem sua identidade própria. Eu tenho o meu CPF próprio, eu respondo pelos meus atos, pelas minhas atitudes, como candidato e sobretudo como prefeito eleito e como prefeito que vai administrar essa cidade a partir de janeiro que vem”, disse.

O candidato ainda comentou sobre declarações de que, durante a sua gestão na Secretaria Municipal de Educação (Semec), teria perseguido servidores da pasta. Kleber disse que as denúncias não procedem e que é muito grato ao esforço dos professores, que fizeram com que Teresina fosse destaque no IDEB por dois anos.

“Eu sou grato aos professores da rede municipal, aos diretores, e aos coordenadores pedagógicos. Eu sou grato aos professores porque eles trabalharam e trabalham se dedicando aos nossos alunos, e tanto é verdade que transformaram a Educação de Teresina a melhor educação entre todas as capitais brasileiras, e não foi só uma vez. Foi isso em 2017, com a primeira medalha de ouro na Educação de Teresina e repetimos agora nas avaliações do Ministério da Educação em 2019, a segunda medalha de ouro na Educação. A melhor duas vezes seguidas, bicampeã na Educação como a melhor dentre todas as capitais brasileiras. Quem faz isso? Os professores. Então, eu sou grato aos professores que se dedicam aos nossos alunos, e estarei com eles, e eles terão sempre o meu respeito, o meu apoio e incentivo para continuar”, finalizou.

Mais na Web