Saúde

Wellington Dias quer acelerar a vacinação contra Covid-19 no Brasil

Segundo o presidente do Consórcio Nordeste, a meta é liberar 7 mil litros do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) para fabricação de 12 milhões de doses da Coronavac no Brasil.
02/06/2021 17h15

Nessa terça-feira (01), o governador Wellington Dias esteve reunido com os governadores do Brasil, onde tratou de alternativas para ampliar e acelerar a imunização contra a covid-19 no país.

Na oportunidade, o governador, anunciou a busca de entendimentos com a embaixada da China, visando à antecipação de 30 milhões de doses de vacinas importadas da China até o mês de setembro.

  • Foto: Divulgação/Governo do PiauíWellington Dias durante reunião com governadores do BrasilWellington Dias durante reunião com governadores do Brasil

Conforme o gestor, em curto prazo, a meta é liberar 7 mil litros do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) para fabricação de 12 milhões de doses da Coronavac no Brasil.

“A perspectiva é garantir o cronograma com da Fiocruz, com o Butantan e também antecipar mais doses prontas ou IFA. Queremos, pelo menos, 30 milhões de doses a mais até setembro”, declarou.

Segundo projeção do governador, no ritmo atual, a perspectiva é o Brasil alcançar em setembro deste ano, 70 milhões de pessoas com a primeira dose da vacina contra a covid-19 e 40 milhões de brasileiros imunizados com as duas doses.

Os governadores demonstraram preocupação com a transmissibilidade do vírus no Brasil. Segundo informações compartilhadas na reunião, 16 estados apresentam índice de transmissão acima de 1, o que requer atenção.

O Fórum dos Governadores vai acionar os conselhos de secretários estaduais e municipais de Saúde, para montar uma espécie de observatório da chamada “nova onda”. Os órgãos técnicos ficarão encarregados de repassar informações quanto ao panorama da doença nos próximos dias. Dependendo da evolução, os estados podem tomar medidas restritivas conjuntas.

Ficou definido no encontro, uma proposta de agenda com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para tratar da autorização para testagem de IFAs produzidas no Brasil. Os governadores seguem buscando vacinas autorizadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), em países como Estados Unidos, Rússia, Índia e Reino Unido.

Mais na Web