Viagora

Covid: Ministério da Saúde reduz intervalo da 3ª dose para 4 meses

Segundo o MS, a medida tem o objetivo de aumentar a proteção da população contra a nova variante batizada de Ômicron que já possui cinco casos registrados no Brasil.

Nesta segunda-feira (20), o Ministério da Saúde alterou a recomendação sobre a dose de reforço para a faixa etária que compreende entre 18 a 60 anos. O órgão estabeleceu a redução do intervalo para aplicação da nova dose de reforço que poderá ser administrada após quatro meses da finalização do ciclo vacinal.

Segundo a MS, a medida tem o objetivo de aumentar a proteção da população contra a nova variante batizada de Ômicron que já foi registrada no Brasil. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ressaltou a importância da dose de reforço para conter o avanço de novas variantes no país.

  • Foto: Luis Marcos/ Viagoravacinaçãovacinação

O órgão orienta que a dose de reforço seja administrada com o imunizante do consórcio Pfizer-BioNTech, contudo a vacina da Janssen e da Oxford-Astrazeneca, a depender da disponibilidade, também poderão ser utilizadas.

Um estudo sobre a eficácia de diferentes imunizantes para a aplicação da dose de reforço foi realizado pela Universidade de Oxford, do Reino Unido e divulgado na última sexta-feira (17).

Conforme a pesquisa, o imunizante Pfizer-BioNTech possui o maior índice de imunização entre as marca utilizadas no país, pois tem a capacidade de ampliar até 175 vezes a quantidade de anticorpos de uma pessoa.

Com informações da Agência Brasil

Facebook
Indicado para você
Veja também