Piauí

Promotor apura falta de alimentação para pacientes do Areolino de Abreu

Através de nota, a direção do hospital negou a falta de suprimentos e disse que está encaminhado as notas de recebimento e compra de alimentos.
08/10/2021 12h01 - atualizado

O promotor de Justiça Eny Marcos Vieira Pontes instaurou inquérito civil para apurar a falta de alimentação para os profissionais e pacientes do Hospital Areolino de Abreu em Teresina.

De acordo com portaria publicada no Diário do Ministério Público do Piauí no dia 6 de outubro, o órgão considerou que o Areolino de Abreu é o único hospital de referência aos pacientes com diagnóstico de transtorno mental grave.

O órgão ministerial considerou também que em razão de declínio de atribuição realizado pela 49ª Promotoria de Justiça, os autos foram encaminhados para a 12ª Promotoria de Justiça de Teresina especializada na defesa da Saúde Pública.

De acordo com o MPPI, a 12ª Promotoria de Justiça já tramita o Inquérito Civil Público Nº 03/2017 no qual consta relatório do Conselho Regional de Medicina- CRM/PI versando também sobre a falta de colchões, lençóis e roupas de cama no HAA.

“Expedição de ofício ao Conselho Regional de Enfermagem solicitando a realização de inspeção in loco, a fim de verificar a ausência de alimentação para os profissionais de enfermagem; e Expedição de ofício à Direção do Hospital Areolino de Abreu requisitando planilha de custos das refeições dos pacientes”, determinou o representante do Ministério Público do Piauí.

Outro lado

O Viagora procurou a Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi) para falar sobre o assunto e através da assessoria de comunicação o órgão emitiu uma nota sobre o caso:

A direção do hospital Areolino de Abreu nega a falta de suprimentos. O diretor do Hospital está encaminhado as notas de recebimento e compra de alimentos. O promotor foi convidado para fazer visita a unidade de saúde e verificar “in loco” o estoque disponível para servidores e internos.

Mais na Web